Deus está no comando!

“Mas, o SENHOR nas alturas é mais poderoso do que o ruído das grandes águas e do que as grandes ondas do mar”. (Salmos 93:4)

O Senhor Deus é um ser bondoso, e por isso, podemos confiar a direção de nossas vidas a Ele. Todos os nossos passos e pensamentos são conhecidos por Deus. Quando não queremos fazer a sua vontade, Ele vai mudar a nossa direção para a vontade Dele, que é perfeita. Quando estamos fazendo a sua vontade, Ele nos guiará também para ELE em favor de outros! Lembro de duas histórias bíblicas que assistia nas EBDs. A primeira delas é a história de Jonas, em Nínive:

“E veio a palavra do SENHOR a Jonas, filho de Amitai, dizendo: Levanta-te, vai à grande cidade de Nínive, e clama contra ela, porque a sua malícia subiu até à minha presença. Porém, Jonas se levantou para fugir da presença do SENHOR para Társis. E descendo a Jope, achou um navio que ia para Társis; pagou, pois, a sua passagem, e desceu para dentro dele, para ir com eles para Társis, para longe da presença do SENHOR.” (Jonas 1:1-3)

Podemos extrair várias lições da história de Jonas, afinal até os dias de hoje o livro é lido nos dias de festas do Yom Kippur (Dia da Expiação) em Israel. Mas, aqui vamos apenas dar atenção ao título deste estudo: “Deus está no comando.” O profeta quis adiantar-se à decisão de Deus. Para ele, Deus já não destruiria Nínive, pois como hebreu, fora ensinado sobre a bondade e a misericórdia de Deus. O povo daquela cidade se arrependeu de suas más ações e Deus mudou de estratégia. Quando estamos dispostos a mudar as nossas vontades, Deus dispõe-se a mudar também. Disse Jonas: “… Por isso é que me adiantei, fugindo para Társis, pois sabia que és Deus compassivo e misericordioso, longânimo e grande em benignidade, e que te arrependes do mal. (Jonas 4:2).

Na verdade, estamos vendo que o profeta Jônatas, não estava só fugindo da ordem de Deus, mas decidindo por ele. Jonas já sabia que Deus agiria com bondade, se o povo se arrependesse. Então decidiu: não vou! Como Jonas, assim, agimos muitas vezes também. Sabemos como Deus faz , mas não concordamos com Ele. Jonas precisava pensar sobre isso, e foi na barriga do grande peixe que ele parou para refletir e orar, afinal, nada mais havia para se fazer ali… Foi a forma como Deus agiu para levar o seu profeta ao comando Dele. Jonas não queria fazer a vontade de Deus, mas o fez e Deus o poupou! Para Jonas, a boa decisão era de destruir a cidade de Nínive com fúria. Mas, para Deus a misericórdia sobrepuja a ira. Deus usou de misericórdia para com Nínive e para Jonas. Isso porque é Ele quem está no comando!

A segunda história também está relacionada aos mares, barcos, tempestades, açoites e tribulações… O apóstolo Paulo, ao contrário de Jonas, desejava levar o evangelho às mais variadas cidades e culturas de sua época. Maltratado pelos judeus, preso pelos romanos, Paulo teve que enfrentar todas as tribulações da vida para levar o evangelho. Mas, foi no meio de tantas aflições que ele nos deixou as cartas escritas pelo Espírito Santo.

“E, passado muito tempo, e sendo já perigosa a navegação, pois, também o jejum já tinha passado, Paulo os admoestava, Dizendo-lhes: Senhores, vejo que a navegação há de ser incômoda, e com muito dano, não só para o navio e carga, mas também para as nossas vidas. Mas o centurião cria mais no piloto e no mestre, do que no que dizia Paulo.” (Atos 27:9-11).

As autoridades romanas e suas cortes , inclusive alguns judeus desejavam estar no controle, mas no fim de tudo quem está mesmo no comando é Deus! Levado de uma prisão a outra, Deus usou cada circunstância, cada judeu, cada carcereiro e cada centurião romano ao comando Dele para que Seu profeta pregasse a Palavra DELE até os confins da terra para cumprir a sua bondade!

Diferente de Jonas, Paulo queria pregar a Palavra, porém, os judeus e os romanos não os deixavam fazer a vontade de Deus. Mas, foi feita! Foi assim porque é DEUS QUEM ESTÁ NO CONTROLE!! Paulo sofreu, mas não estava debaixo de maldição. Estava sob o controle de Deus! Os homens desejam castigos para os outros, Deus deseja que os homens se arrependam. Foi o que aconteceu com o carcereiro e sua família em Atos 16:

“E, perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos os escutavam. E de repente sobreveio um tão grande terremoto, que os alicerces do cárcere se moveram, e logo se abriram todas as portas, e foram soltas as prisões de todos. E, acordando o carcereiro, e vendo abertas as portas da prisão, tirou a espada, e quis matar-se, cuidando que os presos já tinham fugido. Mas Paulo clamou com grande voz, dizendo: Não te faças nenhum mal, que todos aqui estamos. E, pedindo luz, saltou dentro e, todo trêmulo, se prostrou ante Paulo e Silas. E, tirando-os para fora, disse: Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar? E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa.” (Atos 16:25-31).

Na história de Jonas, ele estava livre para ir ao povo anunciar a Palavra do SENHOR. Na história de Paulo, o povo ia até ele nas prisões para conhecer o Caminho. Ambos, porém, fizeram a vontade de Deus, através do controle de Deus!

Dizem que Deus “castiga” porque “castigou” a Jonas no navio e na barriga do grande peixe. Paulo, já preso e humilhado, até o barco de prisioneiros em que ele estava se perdeu e quebrou em meio à tempestade. Deus é mal? É carrasco ou intolerante? Não. À luz da Palavra de Deus, as tempestades da vida foram rigidamente experimentadas por Jonas, o questionador. Contudo, as tempestades da vida também acompanharam às viagens do apóstolo Paulo, o determinado. Ambos sobreviveram e ambos foram salvos pela bondade de Deus. Nesse estudo, concluo que tanto no mar agitado, na barriga de um peixe, num navio ou numa prisão, o SENHOR tem suas razões para falar com “seus” filhos. Deus não é “carrasco”. Ele é bom! É Deus de provas estratégicas e Deus de bênçãos”.

Jonas precisava repensar e pregar, Paulo precisa pregar e escrever, e Deus precisava completar a sua missão na vida deles, e através da vida deles mostrar a sua bondade e misericórdia para as nações. Seja lá quem somos neste contexto, se Jonas, Paulo, judeus ou romanos, uma coisa é absolutamente certa: não somos DEUS!
COM DEUS NÃO SE DISCUTE! CONFIE NA PALAVRA DE DEUS. NADA MAIS, NADA MENOS. AFINAL, É ELE QUEM ESTÁ NO COMANDO!

Até uma próxima!
Twitter: @MinisterioAdore
claudinho.adore@hotmail.com

autor

Claudio Santos

MBA Gestão de Projetos e Gestão Estratégica de Pessoas. Estudante de Psicologia Pastoral, Com 30 anos de vida cristã, Claudinho, além de pastor é músico, conferencista. Membro da Produção do filme cristão “Finding Josef”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *